22 de fev de 2012

Todo carnaval tem seu fim?

Este não é um post sobre Los Hermanos. Desculpaê.

***



Nunca vi graça no carnaval.

Nunca achei que pudesse ser bom o fato de ir pra rua, beber e enlouquecer. E sempre aproveitei essa época do ano para não pensar em nada. Mas o ócio sempre me leva a pensar...

E daí eu pensei que talvez, por acaso, pudesse ser interessante aproveitar a onda de descobertas que tenho vivido para achar alguma graça nessa festa tão peculiar.

E eu fui.

Fui, bebi, me enlouqueci. E cantei, dancei, curti, conheci pessoas legais... Enfim, vivi. Encontrei respostas óbvias às minhas perguntas de sempre e lembrei, mais uma vez, que o mundo real é bem mais divertido.

Vale a pena não esperar nem se preparar. Deixar que as coisas aconteçam faz com que as surpresas sejam recebidas de coração aberto. Afinal de contas, são estas surpresas que a vida nos proporciona que nos fazem ter a certeza de que vivemos e de que o bloco passa, mas a alegria fica.

E o meu bloco tá na rua. Quem quiser, que me acompanhe: eu não espero mais ninguém.