28 de dez de 2011

Mulherzinha

Cabelo, maquiagem e tudo ajeitado no meio das pernas... Sou espada, rapá!

Vou pra cozinha fazer algo gostoso pra nós. Ou só para você, tanto faz. O que importa é eu demonstrar que sou capaz de conquistar seu estômago. Sabe como é, né? Pertinho do coração... E é lá, no estômago, que o corpo sente aquele friozinho gostoso da espera, da saudade, da ansiedade antes de um encontro.

A gente se encontra, se olha, conversa, se beija... Você vai pro seu lado e eu vou pro meu, carregado pelo enxame de borboletas que toma conta do meu estômago. Me entorpeço num passado recente e que me dá o conforto e a leveza que eu preciso para sentir-me tal qual Julie Andrews nos alpes suíços.

E a gente se encontra de novo. Seus braços são meu ninho, meu porto seguro, a fuga que eu preciso para todo o mal do mundo lá fora. Me faz esquecer que o "lá fora existe", por favor...

Me cuido, me zelo, me preparo pra nós. Sigo rituais e superstições para dar tudo certo. Leio o horóscopo, fico sem comer, bebo pra ficar mais soltinho e conseguir te dar uma "versão revista e ampliada" de mim mesmo. Inclino a cabeça pro lado e finjo dissimulação pra você ter a situação sob controle.

Você ri, se aproxima e o looping eterno de sensações recomeça. Tato, olfato, paladar.

***

Meu lado feminino é foda. Sem mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário